sábado, 31 de janeiro de 2009

CONCURSO MESAS DE NATAL










No passado dia 18 de Dezembro, realizou-se na nossa escola a actividade “Concurso de Mesas de Natal”. Esta iniciativa partiu dos professores do Departamento de Línguas.
A actividade consistia na apresentação de uma mesa de Natal, tendo por base a tradição, ou seja, a mesa deveria ser decorada com os pratos e iguarias típicas desta quadra (neste caso não foram tanto os pratos, mas sim as sobremesas e bolos típicos).
Todas as turmas, dos 5º aos 9º anos ornamentaram a sua mesa de Natal e todos os alunos se empenharam e colaboram para que a sua turma saísse vencedora.
Para avaliar a mesa, tivemos um júri, constituído pelo nosso presidente do Conselho Executivo, funcionários e professores. A tarefa do júri não foi nada fácil, pois muitas foram as mesas que se destacavam pela sua decoração e criatividade. A mesa vencedora foi a da turma do 9ºB que teve uma ideia bastante original: apresentaram uma mesa apenas com o típico bacalhau, batatas e couves, sem sobremesas, como no tempo dos nossos avós. Esta ideia fascinou o júri e toda a escola.
A actividade, para além de ter resultado no convívio salutar entre todos, também proporcionou e promoveu o trabalho em conjunto com um objectivo comum.

Marta Maltez 9ºD










No último dia de aulas do 1º Período, ou seja, 18 de Dezembro, foi organizado pelas professoras do Departamento de Línguas, um concurso de Mesas de Natal que envolveu todas as turmas do Segundo e Terceiro Ciclos e, como é óbvio, a restante comunidade educativa.
O concurso consistia em aprontar uma mesa de Natal, com todos os preparos e guloseimas relativos à época, mas acima de tudo, queria-se que alunos e professores convivessem e partilhassem esta nova e enriquecedora experiência.
Cada uma delas continha o toque pessoal e criativo daqueles que a prepararam. Nada faltou, desde a bela caldeirada (com batatas, pencas e, claro, um bom e grosso bacalhau!), passando pela aletria, leite-creme, rabanadas, sonhos, bilharacos de abóbora-menina, filhoses, frutos secos, pão-de-ló, bolo-rei e até as passas ,… para festejar a entrada no novo ano que a passos largos se aproximava…
Para que tudo isto fosse possível, em muito contribuíram os respectivos Encarregados de Educação, que, com afinco e dedicação, lá prepararam ou adquiriram as delícias que regalaram as vistas e aguçaram o apetite… Aliás, urge, desde já, que louvemos e agradeçamos a atitude e coperação dos Pais e Encarregados de Educação que, de alguma forma, foram o suporte deste concurso…
Enfim, pôde sentir-se o verdadeiro espírito natalício em cada uma das salas, mesas e, sobretudo, no relacionamento entre os elementos das várias turmas, que encararam esta actividade não com um espírito de competição, mas de confraternização.
Era tamanha a curiosidade em provar as delícias do Natal que íamos saboreando apenas com o olhar, quando percorríamos os extensos corredores da nossa Escola…, petiscando aqui e acolá…, à espera que o júri viesse avaliar cada uma das muitas mesas a concurso e que chegasse rapidinho a vez de cada uma das turmas, sobretudo aquela que directamente nos dizia respeito…
Mas, a preocupação não se ficou pelas mesas e arranjos e delícias que as preenchiam, mas estendeu-se aos alunos que apareceram vestidos de Pai Natal, de Maria, José e o Menino (presépio vivo), mas também a toda a envolvência. Até se retratou, vejam lá, a tradição da família à volta da verdadeira lareira que servia não só para aquecer a família, mas e, sobretudo, preparar a ceia de Natal, e as histórias contadas pelos mais velhos às crianças e, claro está, a troca de presentes junto da árvore de Natal. Nada faltou, até as tradições Francesas e Inglesas não foram esquecidas, com a Bûche de Noël (o Tronco de Natal) e as tão famosas canções Natalícias inglesas.
É de louvar a ideia de realização deste concurso no seio da nossa Escola, bem como o espírito que, ao longo dele, reinou entre toda a comunidade educativa, onde todos estiveram de parabéns, independentemente da classificação que obtiveram. Mas, já agora, um louvor especial a todos aqueles que estiveram ligados à mesa vencedora, a do 9º B.
Mas, como não há Bela sem Senão, eis um pequeno reparo que pode ser rapidamente corrigido em anos vindouros. Sim, porque queremos dar continuidade a esta bela actividade… É que algumas salas estiveram quase a manhã inteira à espera que passasse o júri, para a avaliar, para, finalmente os seus criadores poderem saborear as suas delícias… E, quando aquele passou, pouco tempinho restou para, com elas, nos deliciarmos… Sim, porque os autocarros não se compadeceram com a nossa vontade de nos lambuzarmos e, depois, arrumarmos a sala….


Maria Beatriz Ribeiro, Nº 17, 8'C

2 comentários:

Anónimo disse...

Isso nao devia de ser assim... Todas as mezas de natal deviam de apararecer nao so uma...

Anónimo disse...

Mesa de natal :D