segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

POSTAL DE BOAS FESTAS


CARTA AO PAI NATAL

Escola E.B. 2/3 da Corga,
Dezembro de 2008

Querido Pai Natal,


Este ano não quero aqueles bens materiais que costumo pedir-te todos os anos.

Nesta época de Natal, queria que oferecesses, ao mundo, paz e alegria. Queria que as pessoas que estão a passar fome tivessem ajuda dos países mais ricos e que pudessem ter alimentos para comer.
Também queria que o racismo e a guerra tivessem um fim e que todas as pessoas fossem livres e tratadas com igualdade e fraternidade. Queria que os países fizessem programas para diminuir a poluição atmosférica que está a causar buracos na camada de Ozono.
Nesta quadra, também queria que a ciência descobrisse mais curas e teorias.
Já agora, acaba com o terrorismo e com a corrupção e … estive a pensar, se tiveres tempo, manda-me uma caixa de rebuçados!

Adeus Pai Natal e até para o ano…


Joel, Miguel, Ricardo, Tiago 7ºC

O NATAL

O Natal
O Natal é sempre
Que uma criança
Está feliz
E com esperança.

O Natal é o amor,
É a vida e a alegria
Sempre que uma criança nasce
Seja qual for o dia.

O Natal não é só prendas,
Festeja-se o nascimento de Jesus
Que veio dar ao mundo
Uma nova luz.

Sempre que estejas contente,
É Natal
Por isso, nada de ficar triste
Porque faz-te sentir mal.

Ana Lurdes nº3 7ºA

A SOCIEDADE DO SÉCULO XXI

Eu acho que a sociedade de hoje é muito complicada. Para além de a maior parte ser pobre, há muita coisa que pode e deve ser mudada.
Os mais pobres estão cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos. Os mais ricos usam roupas de lojas caríssimas e calçado igualmente caríssimo, telemóveis cujo valor dá para alimentar uma família necessitada. Vão ao restaurante frequentemente, têm casas muito luxuosas com empregados sempre ao seu dispor, carros que podem valer uma verdadeira fortuna, quase todos os anos têm umas férias de sonho em destinos de sonho.
Os mais pobres usam roupas de lojas baratas e, por vezes, usam roupa usada, não têm telemóvel e não vão comer ao restaurante. Esforçam-se imenso, todo o mês, a trabalhar para receber um ordenado miserável que não dá para as suas necessidades. Quando os seus filhos lhes pedem algo, não podem dar. Eu penso que tudo isto está mal, todos nós devíamos ter o mesmo dinheiro e ninguém devia passar fome ou necessidade.

Inês Santos 9ºA Nº12


Actualmente, a nossa sociedade está completamente fora de si.
Porque é que dizem que somos todos iguais, se a expressão não passa de uma mentira?
Somos todos diferentes: uns pobres, outros ricos!
Pergunto: uns merecem a riqueza e outros não?
Alguns pobres admitem não ter como sobreviver, outros, orgulhosos ou envergonhados, negam a ajuda de quem os pode ajudar.
Há pessoas com dinheiro e com coração que ajudam quem mais precisa. Em oposição, alguns têm dinheiro, mas gastam-no em coisas desnecessárias e supérfluas.
Na minha opinião, quem tem dinheiro e não sabe como investi-lo deveria acolher crianças ou ajudar uma família. Se fossemos todos solidários uns com os outros, melhoraríamos muito o nosso país e o mundo!
AJUDEM OS MAIS CARENCIADOS!
Aproveitem as campanhas de solidariedade promovidas pela nossa turma.
Obrigada.


Jéssica Ferreira, Nº 13 9ºA

O NATAL HOJE

O Natal é uma quadra que deve ser vivida em família, num clima de paz, fraternidade e amor.
Muitos esqueceram o verdadeiro significado do Natal, pois, para essas pessoas, o Natal não passa de uma troca de prendas.
O Natal deixou a ser uma época de amor e passou a ser uma época de negócio.
Por conseguinte, o Natal deixou de ser quando o homem quer e passou a ser quando o homem deixa.
E, agora, eu pergunto, quando vai o homem deixar ser Natal?
Quando deixar de ser tão materialista, ganancioso, egoísta, e quando começar a preocupar-se mais com o próximo e der mais valor aos sentimentos.



Rute, Adriana – 9ºA

HISTÓRIA ANTIGA DO NATAL

Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
em mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.
(Miguel Torga)

Proposta de leitura Sílvia 7ºE nº20

SÍMBOLOS NATALÍCIOS


PRESÉPIO: A palavra vem do hebraico e significa manjedoura (estábulo). No final do século II, já havia representações do presépio.




BOI E JUMENTO: É uma lenda dos primeiros tempos do cristianismo. Nenhum dos textos do Evangelho fala da presença destes animais. Seria uma reminiscência do texto do profeta Habacuc, que diz que "o Messias se manifestará entre os animais”.









ANJOS CANTORES: Os anjos cantores anunciam uma boa notícia: "Glória no mais alto dos céus e paz na terra aos homens de boa vontade". Os anjos, ou seja, mensageiros, surgem nos céus para confirmar o nascimento do Filho de Deus.





ESTRELA: A estrela tem quatro pontas e uma cauda luminosa. As quatro pontas representam as quatro direcções da terra: Norte, Sul, Leste e Oeste, de onde vêm os homens para adorar o Filho de Deus.








OS TRÊS REIS MAGOS: O Evangelho de Mateus é o único a relata a vinda dos sábios do Oriente. No século V, Orígenes e São Leão Magno propõem chamá-los de reis-magos. No século VII eles ganham nomes populares: Baltazar Belchior e Gaspar. Eles trazem ouro, incenso e mirra para o menino rei, Deus e Salvador.







PINHEIRO DE NATAL: Tradição nascida na Idade Média, que reúne dois símbolos religiosos: a luz e a vida. A actual árvore de Natal aparece na Alsácia no século XVI e no século seguinte espalha-se o hábito de iluminá-la com velas.



BOLAS COLORIDAS: Simbolizam os frutos da árvore viva que é Jesus. São os dons maravilhosos que o nascimento de Jesus nos trouxe. São as boas acções daqueles que vivem como Jesus.








VELAS: Para os cristãos, as velas simbolizam a fé e o amor em favor da causa do Reino de Deus. Velas são como vidas entregues para viver.










SINOS: Os sinos simbolizam o respeito ao divino e evocam, quando presos em torres, tudo o que está suspenso entre o céu e a terra e, portanto, são o ponto de comunicação entre ambos.









NEVE: O toque mágico do Natal vem com a brancura e o frio da neve (no hemisfério norte) que exigem que as pessoas convivam mais dentro de casa.






CARTÕES, PRESENTES E CEIA DE NATAL: A ceia lembra-nos o acto de Amor de Jesus. Lembra também a nossa origem enquanto religião que celebra a fé em torno de uma mesa de família.


PAI NATAL: O Pai Natal oferece às crianças presentes, brinquedos e carinhos da terceira idade. O actual Pai Natal, de roupa vermelha e saco às costas, nasceu nos Estados Unidos na metade do século XIX. Ele é introduzido na Europa depois da Primeira Guerra Mundial e impôs-se pouco a pouco pela pressão comercial daqueles que querem festejar o Natal sem referências religiosas.




Trabalho realizado por: Sara Correia 7ºC, Silvana Santos 7ºC, Miguel Cardoso 6ºA, Luís Leite 5ºE

NATAL COM HUMOR

A loira telefona ao Pai Natal:
- Queria falar com o Pai Natal.
- É o próprio.
- Senhor próprio podia chamar o Pai Natal?






Um senhor escreve uma carta ao Menino Jesus:
«Informado pela Bíblia, soube que o senhor está presente em todo o lado, por isso, venho informá-lo que me deve 30 anos de renda. A dívida deve ser paga até 30 de Dezembro.»









Um menino enviou uma carta ao Pai Natal e colocou-a no correio.
O senhor dos correios abriu a carta que pedia 50 euros e, comovido com o pedido, decidiu pedir dinheiro aos colegas de trabalho para o menino. Conseguiu 40 euros e enviou-os.
Após o Natal, o menino enviou outra carta ao Pai Natal: « Pai Natal, temos de nos encontrar pessoalmente, acho que o carteiro me roubou 10 euros!»










Ruben Santos nº23 6ºB Bárbara Freitas nº2 7ºF

O CORTA-MATO NA ESCOLA

No passado dia 26 de Novembro, entre as 9:00 e as 12:15, decorreu, mais uma vez na nossa escola, uma prova de corta-mato. O corta-mato consiste numa prova atletismo num percurso limitado. Dependendo da idade, os participantes são agrupados por escalões e sexo: infantis A (femininos e masculinos) infantis B (femininos e masculinos), iniciados (femininos e masculinos), juvenis (femininos e masculinos) e juniores (masculinos e femininos).
Os 6 melhores classificados irão representar a escola no Corta-mato a Santa Maria da Feira.
Os melhores classificados foram:



Mariana Guedes 8ºB, Vanda Pinto 8ºB, Cátia Oliveira 8ºB , João Alves 7ºC

A prova de Corta-mato da Escola EB 2, da Corga do Lobão, este ano, uma vez mais, teve sucesso. A grande maioria dos alunos desta escola participou nesta actividade desportiva.
Lame
ntavelmente, houve alunos que foram a correr na desportiva e, por isso, foram desqualificados.
A nossa turma, 8ºE, ficou bem qualificada. Os alunos melhor qualificados foram: Rui Magalhães que ficou no quinto lugar; João Neves que ficou em sétimo lugar e Cláudio Pereira que se posicionou em décimo terceiro lugar.
A nossa turma quer felicitar todos quantos participaram e organizaram esta iniciativa.
Aos apurados, queremos desejar sucesso nas próximas competições.




Tiago Duarte, nº 21 8ºE , Paulo Costa, nº16 8ºE

BIBLIOTECA DE TURMA 9ºD

No passado dia 28 de Novembro, a nossa turma – 9ºD – dirigiu-se à Biblioteca Escolar para apresentar à turma C do 9º ano, no âmbito de Biblioteca de Turma, os trabalhos que realizaram.
A nossa turma apresentou, inicialmente, uma exposição breve sobre a obra “O Principezinho” de Antoine Saint-Exupéry.
Em seguida, a turma representou o “Auto da Barca do Inferno”, obra que estivemos a estudar durante o 1º período, nas aulas de Língua Portuguesa. Todas as personagens tiveram o seu representante com os respectivos símbolos cénicos, mas a única personagem que teve direito a representação foi a do Frade – umas das personagens mais divertidas da obra.
Para terminar da melhor maneira, quatro das alunas apresentaram o “Auto” de forma radical, com alunos do século XXI. As personagens alegóricas do Anjo e do Diabo julgaram uma dred e uma betinha – personagens típicas dos estudantes da nossa comunidade escolar.
Claro que, mesmo com alguns enganos à mistura, os alunos divertiram-se bastante.
Temos a agradecer a ajuda enérgica da nossa professora de Língua Portuguesa, Ana Celeste Fernandes, e queremos elogiar a sua originalidade. A turma gostou muito. É pena que actividades como estas não se possam realizar mais vezes.




Marta Maltez 9ºD

HÁBITOS DE LEITURA DO 9ºA

Foi feito um inquérito aos alunos do 9º ano sobre os seus gostos e hábitos de leitura.
Na turma do 9ºA, verificou-se que a maior parte dos alunos tem maus hábitos de leitura.
Cerca de 40% dos alunos encaram a leitura como uma obrigação, 32% dos alunos afirmam que é um passatempo e os restantes acham que ler é um prazer.
As preferências da turma divergem bastante. As raparigas preferem revistas, tais como a Bravo e Super – Pop entre outras, e os rapazes preferem jornais, essencialmente, desportivos, como o Jogo e outros.
No que diz respeito aos livros, grande parte da turma prefere banda desenhada e livros históricos, recorrendo apenas, esporadicamente, a outro tipo de livros.
Com base no inquérito realizado, por ano, são poucos aqueles que lêem mais do que cinco livros.
Na nossa turma, um dos últimos livros lidos foi a adaptação em prosa de “Os Lusíadas», versão adaptada por João de Barros.
Verificou-se ainda, que a maior parte dos alunos não recebe livros de presente e os que recebem são oferecidos, sobretudo, pelos pais e, raramente, por outras pessoas.
Constatámos, então, que a nossa turma tem poucos hábitos de leitura, deficiência a combater ao longo do presente ano lectivo.
Os alunos do 9ºA

OS DEZ MANDAMENTOS DAS RELAÇÕES HUMANAS

1º- Fala com as pessoas. Nada é mais agradável do que uma palavra de saudação.

2º-Não insultes ninguém. Todos querem ser respeitados.

3º-Tenta ajudar alguém que precise, podem fazer-se amizades e todos ficam bem!

4º-Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti.

5º-Sê atencioso para as pessoas. Nada melhor do que ouvir palavras amigas.

6º-Toda a gente tem direito a ser respeitada. Presta-lhes atenção e ouve o que têm para dizer.

7º-Não comentes só o que as pessoas têm ou fazem de mal, mostra-lhes que também fazem coisas boas.

8º-Muitas pessoas não têm a tua sorte, não apontes o dedo à primeira pessoa que te aparece.

9º-Não sejas egoísta. Não penses só em ti, a palavra NÓS é a mais importante.

10º-Sê quem és!



Mónica Freitas 6º C

ANOREXIA

As pessoas com esta doença distorcem a sua imagem corporal, porque têm tendência a considerar-se mais gordas do que o que na realidade são.
As pessoas anorécticas têm sentimentos obsessivos em relação à comida, chegando até a extremos para não ganhar peso.
Tudo começa quando uma pessoa (normalmente, adolescente e do sexo feminino) decide perder alguns quilos. Quando atinge o seu alvo, não fica satisfeita. Ao ver-se ao espelho, ainda se acha gordo(a) e decide que perder mais alguns quilos será melhor ainda. Regra geral o seu peso cai 15%, ou mais, abaixo do normal para a sua estatura.
O medo de engordar faz com que os doentes reduzam, drasticamente, a quantidade de alimentos, sobretudo hidratos de carbono (bolos, açúcar, pão) e gorduras. Recorrem ainda ao exercício físico intenso, a vómitos auto -provocados e ao uso de laxantes.
Psicologicamente, os doentes anorécticos têm uma personalidade forte, obsessiva e depressiva, devido ao medo de aumentarem de peso e de se tornarem pessoas gordas.
O tratamento da anorexia nervosa é essencialmente psicoterapêutico , quando o peso da paciente não se encontra em limites perigosos que agravem o seu estado geral de saúde. O internamento hospitalar é justificável quando o estado de desnutrição está perto de levar à morte.






PERIGOS PARA A SAÚDE/ SINTOMAS:

  • Presença de amenorreia (ausência de pelo menos três ciclos menstruais consecutivos provocada por alterações hormonais, basicamente devida à desnutrição);
  • Presença de anemia e de vómitos frequentes;
  • Ausência de qualquer outra doença física ou psíquica capaz de explicar o emagrecimento;
  • Desnutrição severa que, em muitos, casos pode ser fatal.
Diana Pinto, 9º C