segunda-feira, 26 de maio de 2008

O DIA DA ESPIGA

A Quinta-feira da Ascensão é uma festa religiosa católica. Há localidades onde é mesmo um dia feriado.Neste dia, celebra-se a ascensão de Jesus ao Céu, depois de ter sido crucificado e de ter ressuscitado. Também, nesta data, celebra-se o Dia da Espiga ou Quinta-feira da Espiga.
Tradicionalmente, as pessoas vão para o campo apanhar a espiga e outras flores campestres. Com elas, formam um ramo com espigas de trigo, folhagem de oliveira, malmequeres e papoilas. O ramo pode também incluir centeio, cevada, aveia, margaridas e pampilhos.

Cada elemento exprime um desejo:
· A espiga - que haja pão (isto é, que nunca falte comida em cada lar).
· As folhas de oliveira - que haja paz e que nunca falte a luz divina. (Antigamente, as pessoas alumiavam-se com lamparinas de azeite, e o azeite faz-se com as azeitonas, que são o fruto da oliveira).
· Flores (malmequeres, papoilas, etc.) - que haja alegria (simbolizada pela cor das flores - o malmequer ainda «traz» ouro e prata, a papoila o amor e vida e o alecrim a saúde e força).
O ramo é guardado ao longo de um ano, até ao Dia de Espiga do ano seguinte, pendurado algures dentro de casa.
Alguns acreditam que este costume, mais presente no centro e sul de Portugal, nasceu de um antigo ritual cristão, que era uma bênção aos primeiros frutos. No entanto, por ter tanta ligação com a Natureza, outros pensam que vem mais de trás no tempo, talvez de antigas tradições pagãs associadas às festas da deusa Flora que aconteciam por esta altura.
Hoje em dia, nas grandes cidades, as pessoas já não vão colher o Ramo da Espiga (nem há onde...), mas há quem os venda, fazendo negócio com a tradição... E ajudando a preservá-la.

Bibliografia: http://www.junior.te.pt/
Christophe, 6ºB.

Sem comentários: